A ABORDAGEM CLÍNICA DO IMAGINÁRIO NO SÉCULO 21

Atualizado: 11 de mar.

O Essencial:

Sergio Spritzer © 5 de maio de 2021.


O texto trata do essencial que é mais extensamente abordado em outros livros. Relembra ao leitor os pressupostos da nossa abordagem e dá dicas de como atender nessa clínica, que tem as suas peculiaridades.


1. Não temos acesso direto à realidade; nem à objetiva nem à subjetiva. Por isso precisamos imaginar.


2. A linguagem é um operador das formas como imaginamos a realidade e não a origem nem o destino da realidade.


3. Toda realidade imaginada é “vivificada”, animada de um sentido para nós: O famoso “porquê” da busca de alguma intenção em tudo que acontece no mundo, que buscamos desde crianças e é mal interpretado pelo adulto como sendo o de uma explicação racional. Sem tal animação, nem mesmo o homem da pedra lascada inventaria a lança e nem um engenheiro produziria o edifício.


4. A perceber “a natureza” ( a realidade objetivada) é o que nos permite sustentar a experiência de estar vivo e existir. As pessoas sentem-se gratas e fascinadas com relação à “natureza” e em relação àquilo que obtém “dela”, seja uma pedra para fazer a lança, a graça de pescar um peixe ou abater um animal, seja pela graça de uma nova descoberta científica, seja pela refeição de cada dia, por percebê-la como dotada de um sentido de vida, para a nossa vida. A natureza, seja ela o que for é uma criação do nosso imaginário na qual confiamos por sua sabedoria e coerência.... Quer ler o texto completo? Então inscreva-se, pelo contato@neurocom.com.br

©© Copyright Neurocom Sérgio Spritzer