Compondo uma nova ordem de escrita com o leitor

© Sérgio Spritzer, 2022

As pessoas costumam realizar anotações no próprio livro, nas suas bordas e até escrever um resumo de compreensão personalizado.

Se você é um destes, fazedor da sua própria versão do que lê, estimulamos a escrevê-la, ao ler o nosso texto.

Quando se habituar não só a comentar, criticar e criar suas próprias ideais a partir das ideias do autor, estará começando a compreender como funciona nosso trabalho de pensamento composto. Cada um gera o seu resumo, apresenta ele como evidência do seu modo de compreender o material para os demais é todos examinam às ideias restantes, junto ao autor.

1. O autor, por mais que saiba do que escreve, é apenas um dos autores, o autor originário do documento.

2. Os leitores, pelo menos os mais dedicados, naturalmente se transformam em co-autores da obra, na medida em que constituíram a sua própria compreensão dela e se comprometem com isso. E radicalmente diferente da leitura clássica que versava sobre o quê apenas o autor originário da obra escreveu e as ideias apenas que ele analisou.

3. Os co-autores se comprometem a constituir obras derivadas dentro de vertentes do seu interesse é apresentar ao grupo de autores incluindo o autor originário.

4. Qualquer autor poderá examinar a obra dos outros autores, fundamentando suas observações e proposições e desenvolvê-las por conta própria.

5. Essa produção será levada para a apreciação da comunidade de autores é examinadores, havendo às seguintes possibilidades:

5.1- Transformação do conteúdo da obra original, corrigi-la e enriquecê-la com as suas ideias.

5.2- Criação de uma nova vertente desde o original, abrindo novos caminhos e ou complementando.

Observe como esse tipo de trabalho opera diretamente na elaboração de um pensamento composto pelo autor e leitor que se constituem em uma unidade de escrita e leitura de uma nova ordem.

©© Copyright Neurocom Sérgio Spritzer