O Horizonte Imaginário.

Atualizado: 11 de mar.

© Sérgio Spritzer, 2021

Não parece por acaso que olhar para um horizonte físico fascina o ser humano desde os primórdios. Mesmo no início da história, andarilhos nômades sentiam-se mais seguros no alto de uma montanha do que no fundo de um vale. Vendo o nascer ou pôr do sol do que dentro de uma caverna ou atualmente dentro de um cubículo. A linha do horizonte aparece de forma semelhante no plano mental quando as pessoas conversam a respeito de qualquer assunto até mesmo para rir com o efeito inesperado de um chiste, de uma piada, é preciso traçar um horizonte na narrativa e ser surpreendido.


O futuro está no horizonte como uma linha horizontal que igual a todos em um mesmo plano. Em que ponto você quer chegar (nesse horizonte)?


Esse é o modo de pensar quando uma narrativa está em curso como se ela fosse um corpo em movimento em alguma direção. Mesmo não sabendo onde vão chegar é preciso saber de um horizonte. Enamorados visam o mesmo horizonte. Em uma equipe, as pessoas olham para uma mesma meta, que não são comportamentos e sim um mundo de relações a ser buscado como uma linha no horizonte.


Quando uma pessoa não está se colocando a ponto de compreender a outra, alguma delas usa a expressão: você não está olhando para o mesmo horizonte que eu. A decepção de não se perceberem voltados ao mesmo horizonte pode inviabilizar uma conversa rumo ao diálogo.

©© Copyright Neurocom Sérgio Spritzer