Uma obra viva, híbrida, multifacetada e em movimento.

© Sérgio Spritzer, 2022 A ideia é dessa obra funcionar como uma matriz de conhecimento sobre pensamento e fenomenologia do imaginário desde o qual diferentes campos e percursos sejam recorridos.

Não é um simples livro e sim uma matriz de interação com o leitor, espectador dos vídeos e sujeito que vivencia os exercícios. O sujeito reage com comentários , gravação de voz e /e vídeo quando quiser e puder. Havendo coerência, o leitor/espectador/sujeito e aprendiz podem se incorporar à própria obra, passando, claro, por uma comissão autoral, que examina a contribuição.

Ele se tornará, se assim optar, uma parte composta do quê aprende convidado quê fica à intervir e compor-se com o que aprende, agregando-se à obra.


Imagine essa obra como uma construção entre quem a aprende e quem oferece a aprendizagem.


"Já percebeu como aprendemos quando conversamos e trabalhamos em equipes na busca de solução de problemas?

Quando você se reúne com pessoas que genuinamente estão vivenciando um desafio ou problema similar ao que você precisa resolver e existe sinergia e motivação colaborativa, novas soluções surgem rapidamente. Isso por que o aprendizado é especialmente positivo quando temos a chance de conviver e debater com pessoas diferentes de nós, com outras perspectivas profissionais (assumindo que você está com a cabeça aberta para aceitar outros pontos de vista), desde que exista interesse em encontrar uma solução comum para os problemas coletivos.

Na prática esse tipo de troca de experiências e construção colaborativa é um misto dos melhores métodos de aprendizagem que existem, onde cada participante assume múltiplos papéis, como debatedor (aprende conversando), professor (aprende ensinando) e executor (aprende fazendo)"¹.

Há quê se implicar a antiga posição de professor, quê aprende ao ensinar. E muito diferente da tradicional posição de professor como aquele quê professa o conhecido, o já sabido. Neste caso ele é um aprendiz experiente, capaz de criar boas perguntas, bem fundamentadas aos outros aprendizes. Esse espírito de iniciativa , liberdade é responsabilidade recíproca inspira o "método harvard" .

Nele o professor apresenta uma situação desafiadora e mostra como ele examinou, como buscou informações para se colocar e definir problemas é soluções a partir de sua própria inciativa. Em seguida cita como outros profissionais é alunos o fizerem.

É no momento final convida os aprendizes a fazerem o mesmo, e seja, terem iniciativa para examinar a realidade, definir o quê e e não e relevante, definir o problema é buscar a melhor solução por conta própria. O professor não mais professa, facilita e inspira.


Vamos disponibilizar atendimentos por vídeo interações on-line e presencial intercalados na medida do possível, com base na aprendizagem mediada pela matriz de conhecimentos original oferecida pelo autor é colaboradores próximos. O projeto e de quê ela não seja uma lição com provas de apreensão e sim uma base de lançamento para relação de aprendizagem facilitada entre os inspiradores, os mais experientes é originais é os inspirados. Têm como público a ser engajado pessoas, grupos, equipes e organizações buscando fundamentos para conhecer-se é lidar com a realidade interna é de relação com às outras realidades.


Dessa forma, vira um processo interativo animado por que interage com ele, mediado por uma comissão de autores e coautores mais experientes, para o qual o próprio cliente contribui para expandir a sua maneira....


Não vai funcionar apenas como livro (modo linear e sucessivo de codificar e interpretar signos) e nem apenas limitado dentro de um ^quadradoˆ de um contexto , de uma situação muito limitada. O projeto têm metas é objetivos mais ambiciosos: oferecer a imersão do aprendiz em uma campo de expansão do pensamento e da consciência de sie é de si com os outros, sem mistificações. Usando a competência cognitiva dele mesmo na relação consigo e com outros.


Na interação com o autor, o aprendiz de pensamento composto via fenomenologia do imaginário vai se tornando autor e compondo uma comissão de autoria.

Para mais informações contate-nos através do e-mail contato@neurocom.com.br


¹ fonte: https://pesquisas.face.ufmg.br/time/2017/03/06/redes-de-aprendizagem-e-inovacao/


©© Copyright Neurocom Sérgio Spritzer